31 janeiro 2016

J A N E I R O . um ano I doze meses I trezentos e sessenta e cinco dias


tantos momentos partilhados no meu doce mês de Janeiro. 

poderia seleccionar diversos apontamentos. é sempre tão difícil escolher apenas alguns, de tantos outros. 

um guarda-chuva abandonado no caixote do lixo porque o vento o quebrou. com aquelas pintas vermelhas não o poderia deixar lá abandonado. regressei ao estúdio para o deixar. noutro dia olhei-o de novo e retirei, sem rasgar, o tecido impermeável tão sarapintado. não sei o que farei com ele mas estou certa que vai transformar com alegria o quer que decidir criar. 

uns sapatos vermelhos em tecido. as palavras escritas a giz no chão, "Que desejos tens?". uma mala de cartão de viagem, que poderá guardar tantos segredos. neste novo ano tenho muitos desejos para concretizar. os sapatos vermelhos lembram tantas vezes os sapatos de verniz que pedi, quando menina, para a mãe comprar. nunca os tive. pelos menos vermelhos. tive uns sapatos de verniz mas eram pretos. combinavam com quase tudo. mas o desejo sempre foi ter uns vermelhos. 

a minha querida AzEitOna olhou-me muitas vezes com aquele olhar mágico. esteve doente e tive tanto medo de a perder. se ia imaginar que um dia, a olhar para ela, ia decidir fazer gatos em tecido. assim nasceram as AzEitOnAs. gatos de silhueta negra e que viriam a conquistar muitos sorrisos com o seu olhar atento e misterioso. agora também tenho um Matias. qualquer dia tenho de criar um gato de silhueta negra mas com uma pinta branca no pescoço. saberia lá eu que um dia ia encontrar semelhanças na silhueta dos gatos que crio em tecido com a silhueta dos gatos que desenhava quando tinha cinco anos. quando reencontrei os meus desenhos de miúda no sótão, descobri os gatos que desenhava. quase tive vontade de chorar por ver ali, naquelas folhas de papel, os gatos que hoje ganham forma com os tecidos. afinal esses desenhos mantiveram-se vivos e escondidos na minha memória mas se não tivesse encontrado esses desenhos nunca teria sentido a alegria desta descoberta.

o meu doce mês de Janeiro. ano após ano, começo o ano com o mês em que celebro mais um ano. este ano celebrei 36. nasci em casa e entre os amigos sempre acharam estranho escutar que tinha nascido em casa. aliás, nasci na casa da avó. foi a avó que proporcionou esse momento em casa e me ajudou a nascer. 

a todos os amigos que comigo partilharam momentos tão especiais durante este mês, um grande abraço. e se nos últimos tempos tenho seleccionado diversos momentos com os amigos e que estão hoje registados em fotografias, o livro-objecto "Linhas da Amizade" que estou a conceber vai transformar-se num objectivo mágico, numa espécie de bilhete de viagem porque nele vão habitar diversos lugares, diversas emoções, diversos amigos que dão ainda mais sentido à minha vida. 

e antes da chegada do ano que virá a seguir, ainda temos tantos outros meses para aproveitar. 
olhando tudo que nos envolve e habita vivemos mais um dia. 

28 dezembro 2015

abrir os braços a 2016...


para legendar esta imagem, nesse dia escrevi: "as asas dos meus desejos".
para ilustrar um último post, do ainda existente 2015, partilho este momento nesse dia eternizado pelos olhos dele. a dias de abrir os braços a um novo ano, revejo os desejos que fui rabiscando em folhas de papel e todos aqueles que vivem aqui dentro e que nem sempre ganham forma pelas palavras ou pelas linhas desenhadas. neste novo ano, vou mergulhar num processo criativo intenso e pessoal. desejo continuar a materializar quem sou através de todos os gestos artísticos que entender como forma de linguagem.

24 dezembro 2015

* Noite Feliz *


a história desta imagem. uma cliente, que entretanto com os anos se tornou uma amiga, uma vez, faz já alguns anos, enviou-me uma fotografia divertida. com algumas das criações Dedal no Dedo que foi adquirindo, criou, com uma família de azeitonas e um anjo, o seu presépio em casa. um presépio original e bem divertido. nem eu me teria lembrado de tal coisa e diverti-me imenso quando recebi esta fotografia. este ano, reencontrei-a e resolvi preparar este postal de Natal para os amigos. com ele "Desejo a todos uma noite salpicada de afectos..."

19 dezembro 2015

INAUGURAÇÃO I instalação à janela. Mãos-Árvore


Para celebrar dez anos do meu projecto Dedal no Dedo - Design e Criação de Personagens de Pano, tenho até dia 6 de Janeiro, esta Instalação à janela. Mãos-Árvore I semeando a terra em mim, espreita nas janelas do meu estúdio em Braga. Esta nova instalação à janela, foi inaugurada com um momento musical, proporcionado pela Escola de JAZZ de Braga, com Marco Fernandes, Richard Okkerse e Gabriela Braga Simões. 

Um momento musical ao vivo e que abraçou este lugar com um toque especial junto com todos os que vieram ao nosso encontro, neste lugar, para celebrar arte. A todos os que foram aparecendo durante o dia, porque foi dia de ATELIER aberto, aos que se juntaram ainda neste momento para inaugurar também a Exposição Calendário do Advento, aqui fica um grande Abraço. 


17 dezembro 2015

na minha Árvore do Advento habitam tantas histórias


além da montagem da instalação à janela "Mãos-Árvore / semeando a terra em mim", aqui no meu estúdio, outros recantos deste lugar vão ser habitados pela Exposição Calendário do Advento. esta é outra surpresa que estou a preparar na Janela Adentro. este ano teríamos à janela, a 5ª edição do Calendário do Advento - 24 histórias à janela para saborear com canela, mas desde o dia 1 de dezembro que não o vemos luminoso e sorridente, como nos habituamos a ver, espreitando através desta janela. no entanto, e porque este lugar desejava muito voltar a sentir magia, decidi realizar esta Exposição com alguns dos artefactos que os artistas convidados criaram para habitar este Calendário. são obras diversas com histórias diversas e que fomos conhecendo, ao longo destas edições. de todas as fotografias que fui tirando escolhi apenas 24 imagens de alguns desses artefactos. será que te vais lembrar de todos eles?

inauguração. 19 de Dezembro / 16h com um momento musical proporcionado pela Escola de Música de Jazz

15 dezembro 2015

MONTAGEM I as minhas mãos-árvore à janela


 dia 19 de dezembro, inauguro a instalação à janela intitulada Mãos-Árvore / semeando a terra em mim. por estes dias continuo em montagens. sobe e desce o escadote para colocar as Mãos com vista para esta rua da cidade.